espresso.jpg

A arte do preparo de um bom café expresso

157 Flares Twitter 0 Facebook 157 Email -- Google+ 0 157 Flares ×

Preparado para ser consumido na hora, o café expresso é uma delícia que tem fãs cativos ao redor do mundo inteiro. E não é à toa: ele demanda todo um ritual que começa já na moagem do grão, na forma de prensagem do pó no filtro, na temperatura, pressão e tempo para sua retirada. Para os peritos, ele é a verdadeira quintessência do café, a forma de preparo que mais ressalta a riqueza de suas notas aromáticas que tão bem se combinam ao creme aveludado. Conheça as características que fazem com que o café expresso seja visto como uma verdadeira arte.

Técnica de preparação prevê medidas bastante exatas

Quem pede um café expresso na cafeteria não tem ideia de que existe toda uma técnica para a sua preparação, convencionado pelos seus criadores italianos. Para que o caffè espresso seja considerado de qualidade, é preciso que suas três partes principais – o coração, o corpo e a espuma – tenham sido produzidos de acordo com uma metodologia bastante específica: 7g de café em pó, na temperatura exata de 90ºC, tempo de preparo de 30 segundos para 50ml de café, 9 bar de pressão da bomba da máquina e, a característica mais marcante do café expresso, a espuma conseguida deve ser cor de avelã, composta por óleos vegetais, açúcares e proteínas, mantendo-se inalterada na superfície.

A arte de despertar os cinco sentidos

Ao contrário de outras bebidas cujo sabor é o mais importante, o café expresso perfeito deve envolver os cinco sentidos. Quando os primeiros aromas do café são liberados aos 90ºC e misturam-se ao ambiente, fazem com que o olfato crie uma gama de referências, como a do pão quentinho com manteiga ou do chocolate.

Em torno dos 65ºC, a degustação do café expresso é perfeita, um equilíbrio de notas doces, ácidas e amargas que dispensa a adição de açúcar, deleitando o paladar. A cremosidade aveludada não deixa dúvidas de que o café preparado é de qualidade. E os olhos se fartam com a visão da cremosidade em tons de avelã em contraste com a xícara branca. É através dela também que se reconhece quando o expresso perdeu o tempo ou a temperatura de extração: alguma coisa está errada quando há um rombo em meio à espuma ou o creme tem coloração castanho-escura com pintas brancas

Cada item tem sua importância na hora da preparação

Mas para falar aos cinco sentidos, o café expresso precisa de atenção a cada um dos itens que compõem seu ritual de preparação. A espuma cremosa e consistente, por exemplo, deve manter-se na superfície, conservando a temperatura e preservando seu aroma. O teste pode ser feito com uma pequena colher de açúcar – a sua descida lenta é sinal da sua cremosidade ideal.

Da mesma forma, o porta-filtro deve estar sempre aquecido e, para isso, ele deve ficar permanentemente encaixado no grupo, fazendo com que o café saia na temperatura certa. Já o moinho deve ser regulado para que o grão de café não seja moído em uma espessura muito fina ou muito grossa, o que, além de interferir na qualidade, também prejudica a própria máquina. O tempo de extração do café expresso deve ficar entre 25 e 30 segundos sempre.

E, sim, a xícara também é de fundamental importância para um café expresso de qualidade. Além do apelo visual, ela deve estar sempre quentinha para não trocar calor com a bebida e deixa-la fria. Por isso, o ideal são as xícaras de porcelana, que podem ser aquecidas antecipadamente, colaborando para uma experiência perfeita.

Com tanto cuidado no preparo é difícil resistir a uma xícara de café expresso logo pela manhã, não é mesmo?

Acesse o post Prós e Contras do Consumo do Café e entenda quais são seus reais benefícios.

BANNERS-600